Este é sempre a dúvida nas empresas sobre qual o melhor investimento para formar e manter lideres. Proporcionar treinamentos aos lideres por anos e correr o risco de ele sair da empresa, ou contrato um líder pronto do Mercado e com o risco de ele não se adaptar a cultura da empresa?

A questão não é tão simples e matemática assim, inclui vários fatores na busca da resposta ideal.

Conforme a Matéria da revista Exame de 20/08/2014: “ As melhores fábricas de Lideres”, entre as 10 maiores formadores de Líderes do mercado Brasileiro ( 3M, AMBEV, Catterpillar, Gerdau, Dow,J&J Medical, Novartis, Unilever, Arcelormittal e EDP ) tem como Diretores e Vice-presidentes em média de 90% ocupados por executivos que cresceram dentro de casa.

Quais são as vantagens desta proposta? Ao formar dentro da empresa gera mais lealdade na equipe, fortalece a cultura, aumento da motivação ao mostrar um plano de crescimento e como conseqüência diminuição do turnover.  Conforme a pesquisa realizada pela Fundação Instituto de Administração de São Paulo: “Nestas empresas 90% das vagas abertas para presidente, vice-presidente e diretores foram preenchidas internamente, a media de outras empresas pesquisadas foi de 53%”.

O que estas empresas fazem de diferente do restante do mercado?

–       Possuem um comitê de avaliação dos funcionários ( 100 % nas 10 melhores a 70% nas restantes )

–       Promovem expatriação ( 90% a 77% nas restantes )

–       Fazem avaliação 360 Graus ( 70% a 34% nas restantes )

–       Patrocinam Coaching para seus executivos ( 100% a 76% nas restantes ).

 

E é sobre este último ponto que estarei enfocando. Estas empresas patrocinam programas de Coaching para seus executivos, em media, R$ 10000 ao ano por profissional. Infelizmente ainda é a minoria das empresas que tem esta consciência de investir no crescimento pessoal e profissional de seus colaboradores.

O Coaching, diferentemente dos treinamentos técnicos, ele alinha os objetivos pessoais e profissionais. Normalmente o problema do executivo não está na empresa, podendo estar em outra área da vida ( saúde, relacionamento, finanças ).

A busca do equilíbrio de todas as áreas é uma das propostas do Coaching Executivo. Outro ponto fundamental no processo de Coaching é a definição da Visão, Missão e Valores, alinhando com a da empresa. Em nossos treinamentos de Coaching Express Condor Blanco encontramos, em media, apenas 10% que já tem por escrito sua Visão, Missão e Valores. Esta não definição de onde o executivo quer chegar nos próximos 2 a 5 anos poderá levar a desmotivação e diminuição do desempenho.

O processo de Coaching também apóia nos planos de promoção. Conforme pesquisa de 2013 da Affero Lab, que entrevistou 4300 executivos de grandes empresas do país, descobriu que apenas 14% deles tinham recebido algum tipo de preparação formal para assumir seu primeiro cargo de gestão.

Ou seja, a empresa está precisando de um gerente comercial, e escolhe o melhor vendedor para o cargo. A empresa corre um tremendo risco: “ De perde o melhor vendedor e ganhar um péssimo Gerente.”

Então antes de promover, seria fundamental um processo de Coaching ( recomendamos 10 sessões em um prazo de 3 a 6 meses ), avaliar o perfil desejado para o cargo, fazer o GAP de quais competências tem desenvolvidas e quais precisa fortalecer e fazer um plano de desenvolvimento gradual de habilidades técnicas e principalmente comportamentais. Ao fazer um processo com um bom profissional, as chances de fracassos serão mínimas.

Estamos em um momento delicado no pais, mas não é inteligente suspender os treinamentos se a economia vai mal, muito pelo contrário, são nos períodos de adversidades que poderemos observar os futuros lideres.

Em 2013, enquanto no mundo a rotatividade cresceu em 38% das empresas, no Brasil cresceu em 82% . Isto é claramente custoso para empresa que tem que fazer rescisão, seleção de pessoal, treinamento, etc.

O que mais motiva os executivos não é salário, e sim a possibilidade de crescimento profissional ou a possibilidade de encontrarem na empresa as chances para o desenvolvimento de seus talentos.

Então por todos estes motivos levantados, recomendo a instalação da Cultura de Coaching nas empresas para a formação de Lideres Coaches, gerando a diminuição do turnover, e mais resultados, lealdade, motivação e um propósito de Vida para a carreira do Executivo.

Tiago Almeida Yalcon – Máster Coach, Médico e Diretor da Escola de Coaching Express CB.

 

Referências

Revistas Exame de 20/08/2014 – “ As melhores Fábricas de Lideres.”

Revista Exame de 23/10/2013 – “ No Brasil, rotatividade de pessoal cresceu 82%”